Veja Também

Veja Também

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

RESENHA DA BOLSA - SEXTA-FEIRA 20/10/2017

ÁSIA: Os mercados da Ásia fecharam em alta nesta sexta-feira, ignorando o sentimento negativo observado no início do dia. 

O Nikkei 225 do Japão manteve ligeiros ganhos ao fechar em alta de 0,04%. O índice de referência subiu para a décima quarta sessão consecutiva de alta, o maior rali desde 1988. Os investidores pareciam despreocupados com a potencial incerteza com as eleições japonesas em 22 de outubro. A coalizão do primeiro-ministro japonês Shinzo Abe provavelmente ganhará a maioria de dois terços. 

Do outro lado do estreito coreano, o Kospi subiu 0,67% fechar em 2.489,54 pontos. A maioria das ações de tecnologia recuperaram das perdas registradas na quinta-feira: a Samsung Electronics fechou 1,62% maior e SK Hynix ganhou 2,78%. Esses ganhos compensaram perdas moderadas observadas nos nomes de fabricação.

Abaixo, o S & P / ASX 200 subiu 0,18% para fechar em 5.907 pontos. As ações australianas tropeçaram inicialmente mas conseguiu recuperar e avançar e renovar seu recorde de duas semanas, fechando acima de 5900 pontos pela primeira vez em mais de cinco meses. Desde que o atual rali foi iniciado em 6 de outubro, o índice de referência saltou perto de 200 pontos, ou 4,5%.

As ações da BHP subiram 0,5%, Fortescue avançou 1,9% e Rio Tinto adicionou 0,1%. Players de lítio recuaram após um recente rali. Galaxy perdeu 1,8% e Orocobre recou 3,2%. As perdas também vieram depois que o presidente da empresa chinesa de lítio TianqiLithium Corporation, Jiang Weiping, avisou que alguns produtores de qualidade inferior serão "eliminados" nos próximos anos, à medida que novos suprimentos entrarem no mercado.

O índice Hang Seng subiu 1,17%, recuperando parte das perdas de quinta-feira. Especialistas atribuíram a queda de quinta-feira a uma série de fatores, incluindo uma maior liquidez e comentários do governador do banco central da China, Zhou Xiaochuan, na quinta-feira de que otimismo demasiado nos mercados poderia levar a um colapso nos preços dos ativos.

Os mercados continentais tiveram um dia positivo depois de fechar moderadamente mais baixo na sessão anterior: o Shanghai Composite adicionou 0,28% e o Shenzhen Composite subiu 0,80%.

Os mercados da Índia ficaram fechados por conta de um feriado público.

EUROPA: Os mercados europeus avançam na manhã desta sexta-feira, já que a temporada de lucros e a turbulência política na região continuam a dominar as manchetes. O pan-europeu Stoxx 600 aumenta cerca de 0,24% logo após o sino de abertura, recuperando-se do seu ponto mais baixo em outubro, com quase todos os setores e importantes bolsas em um território positivo. Autos e ações de recursos básicos são os destaques da manhã. 

O FTSE 100 do Reino Unido marcha para cima, cortesia da queda da libra em relação ao dólar, colocando o benchmark londrino no caminho para uma alta semanal, atingindo brevemente acima do fechamento recorde de 7.556,24 pontos da semana passada. A libra perdeu força depois que o Senado dos EUA aprovou uma resolução do orçamento republicano. A votação de 51 a 49 a favor, prepara o caminho para as reformas tributárias que podem levar a US $ 1,5 trilhão em cortes de impostos nos EUA. Antes do início das negociações, o benchmark de Londres estava em curso para a primeira queda semanal em cinco semanas, agora segue para um ganho modesto de 0,1%.

Entre as mineradoras listadas em Londres, Anglo American sobe 1,1%, Antofagasta avança 2,7%, BHP Biliton sobe 0,5% e Rio Tinto opera em alta de 0,8%.

No foco político, o segundo dia da Cúpula da UE deverá ocorrer em Bruxelas, com os investidores acompanhando o evento em busca de qualquer evolução sobre certas questões políticas, econômicas ou sociais. Na quinta-feira, o Brexit e a Catalunha foram discutidas na reunião. No que diz respeito ao Brexit, a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, convidou os outros líderes da UE a prosseguir as negociações, enfatizando o interesse comum de ambos os lados no setor de segurança e livre comércio. Após o apelo de May, a chanceler alemã, Angela Merkel, expressou que acreditava que as negociações entre os dois lados avancem, ao invés de fragmentar.

Os investidores também estarão atentos à Catalunha, depois que notícias surgidas na quinta-feira mostraram que o governo central da Espanha se move em direção da suspenção da autonomia da região.

ÍNDICES FUTUROS - 8h00:
Dow: +0,35%
SP500: +0,19%
NASDAQ: +0,14%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

RESENHA DA BOLSA - QUARTA-FEIRA 18/10/2017

ÁSIA: As bolsas asiáticas não conseguiram determinar uma direção no pregão desta quarta-feira, com investidores da região operaram com cautela diante do início do Congresso do Partido da China que deve determinar futuras diretrizes políticas da segunda maior economia do mundo e que deverá garantir o segundo mandato de cinco anos do atual presidente da China, Xi Jinping.

O índice Nikkei 225 do Japão subiu pela 12ª sessão consecutiva depois de avançar 0,13% e terminar a sessão em 21.363,05 pontos. Entre os principais exportadores, Mitsubishi Motor subiu 1,32%, Nissan subiu 0,09% e o SoftBank Group recuou 0,51%.

Do outro lado do estreito coreano, o Kospi da Coreia do Sul reverteu os ganhos iniciais e deslizou 0,06% para fechar em 2.482,91 pontos, uma vez que os ganhos realizados pelas montadoras foram compensados ​​por quedas nos nomes de tecnologia.

Abaixo, o ASX 200 da Austrália subiu 0,02% para em 5.890,5 pontos, conseguindo estender para um novo recorde de nove sessões à medida que o índice se aproximou da máxima de seis meses. A Rio Tinto foi acusada de fraude pela Comissão de Valores Mobiliários dos EUA. A empresa de mineração foi acusada de influenciar o preço dos ativos em Moçambique.  No final de terça-feira, o Rio disse que as alegações de fraude feitas pela Securities and Exchange Commission eram "injustificadas" e seriam provadas em tribunal. As ações da mineradora negociada na Austrália fecharam 0,76% menor, enquanto BHP Biliton recuou 0,5% depois que a gigante da mineração lançou números mistos de produção.

Os mercados da China operaram estáveis ​​à medida que o 19º Congresso Nacional do Partido Comunista da China começou em Pequim. Os investidores tentaram procurar sinais sobre como Pequim pode abordar questões como o problema da dívida, a sobrecapacidade industrial e a "One China". Durante seu discurso de quase 3,5 horas no evento, o presidente Xi Jinping destacou as realizações feitas pela China nos últimos anos, mas reconheceu os desafios que continuarão à frente. Xi também prometeu que haverá maior acesso ao mercado no setor de serviços e reformas econômicas mais extensas.

Além disso, os principais dados da segunda maior economia do mundo, incluindo a produção industrial de setembro e os números do PIB do terceiro trimestre, serão divulgados em 19 de outubro. O Índice Hang Seng de Hong Kong subiu 0,05%. No continente, o Shanghai Composite avançou 0,28% e o Shenzhen Composite perdeu 0,39%.

Os mercados de Singapura e Malásia ficaram fechados por conta de um feriado público.

EUROPA: Os mercados europeus operam em ligeira alta nesta quarta-feira de manhã, com investidores monitorando o último lote de balanços trimestrais e lançamentos de dados econômicos. O pan-europeu Stoxx 600 sobe 0,1% logo após o sino de abertura, com quase todos os setores e bolsas em território positivo.

A política continua a influenciar os investidores nesta quarta-feira, que aguardam as últimas notícias sobre o Brexit e a Catalunha.

As ações espanholas serão acompanhadas de perto, com notícias de que a Catalunha se recusou a ceder à demanda do governo espanhol de renunciar à sua independência. O IBEX 35 espanhol opera em queda.

Uma retração contínua da libra ajuda a favorecer as bolsas do Reino Unido de forma moderada, com todos os setores em movimento de alta. Embora a queda da libra tenha alimentado o crescimento da inflação de preços, também ajuda a impulsionar ações de empresas multinacionais que obtêm a maior parte de seus ganhos em mercados estrangeiros. O FTSE 100 de Londres subiu 0,1% na terça-feira. Entre as mineradoras listadas em Londres. Anglo American cai 0,4%, BHP Biliton recua 0,1% e Antofagasta avança 0,6%. Rio Tinto perde 0,4% após ser acusada pela SEC. O peso pesado da mineração e dois ex-altos executivos estão sendo processados ​​pelos reguladores americanos por enganar investidores sobre o valor dos ativos de carvão em Moçambique obtidos em uma aquisição que causou grandes perdas para a empresa.

Os salários do Reino Unido aumentam 2,2%, incluindo bônus em agosto, ante estimativa de 2,1% dos analistas.

Em relação ao Brexit, a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, deve falar com os colegas da União Europeia na quinta-feira. No início desta semana, tanto o presidente da Comissão como o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, pediram que o ritmo das negociações no Brexit fosse acelerado.

Além disso, espera-se que vários membros do Banco Central Europeu façam observações em diferentes países nesta quarta-feira, incluindo o presidente Mario Draghi e Benoît Cœuré, membro do conselho executivo do BCE.

EUA: Os futuros de ações dos Estados Unidos apontam para uma abertura ligeiramente positiva, o que deve manter o Dow em curso para manter próximo dos 23.000 pontos, um dia depois de tocar brevemente acima desse importante número pela primeira vez. 

Na terça-feira, o Dow Jones Industrial Average e o S & P 500 superaram as máximas de fechamento de todos os tempos. O DJIA fechou em 22.997.44 pontos após negociar brevemente até 23.002,20 pontos. O Nasdaq Composite terminou ligeiramente mais baixo.

O presidente do Fed de Nova York, William Dudley e o presidente do Fed de Dallas, Rob Kaplan, devem participar de um painel de discussão sobre o crescimento econômico, em evento na cidade de Nova York às 9h00.

Um relatório sobre o início da construção de imóveis está programado para ser lançado às 9h30.

HORÁRIO DE VERÃO: Com a entrada do horário de verão, a Bovespa ganha 1 hora e passa a funcionar das 10h00 às 18h00 (antes, era até as 17h00). O horário estendido, segundo a Bolsa, vale até o fim do horário de verão, em 19 de fevereiro de 2017. Até sexta-feira, a bolsa estava operando no chamado "horário regular", que vale entre março e outubro, das 10h00 ás 17h00. Com o horário estendido, a Bovespa não terá o "after market" (negociações após o encerramento da sessão oficial).  

ÍNDICES FUTUROS - 7h30:
Dow: +0,18%
SP500: +0,04%
NASDAQ: +0,01%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

terça-feira, 17 de outubro de 2017

RESENHA DA BOLSA - TERÇA-FEIRA 17/10/2017

ÁSIA: Os mercados japoneses fecharam em alta pela 11ª sessão consecutiva, enquanto o índice de ações da MSCI da Ásia-Pacífico, excluindo o Japão, fechou estável. Os preços do petróleo, entretanto, manteve os ganhos devido tensões geopolíticas.

O Nikkei 225 do Japão subiu novamente, para fechar 0,38%, em 21.336,12 pontos. A maioria dos fabricantes de automóveis e ações ligadas à indústria fecharam em alta, enquanto ações de tecnologia fecharam sem direção.

Enquanto isso, o índice Kospi da Coreia do Sul avançou 0,17% para fechar em 2.484,37 pontos, enquanto as siderúrgicas reduziram parte de seus ganhos realizados na última sessão. As ações de "tech" terminaram a sessão mista: Samsung Electronics fechou 1,63% maior, mas SK Hynix inverteu ganhos iniciais para fechar 0,83% menor.

Abaixo, o ASX 200 da Austrália avançou 0,73% para terminar em 5.899,6 pontos, graças à força das commodities. As principais mineradoras, bancos e ações de energia obtiveram ganhos na sessão. BHP Biliton fechou em alta de 1,2%, Fortescue avançou 0,5%, Rio Tinto adicionou 1,8%, enquanto Woodside Petroleum avançou 0,7%.

A minuta do Banco de Reserva da Austrália mostrou que os políticos não estavam apressados ​​em aumentar as taxas de juros no país apenas porque outras economias estavam fazendo isso.

No continente, os mercados fecharam misturados antes da reunião do Partido Comunista que inicia em 18 de outubro. O Shanghai Composite fechou 0,15% menor e o Shenzhen Composite subiu 0,1%. O índice Hang Seng de Hong Kong negociou 0,02% acima da linha plana. Os investidores esperam um "cenário relativamente positivo" frente ao 19º Congresso do Partido da China.

EUROPA: Os mercados europeus abriram em ligeira alta, mas as principais praças devolvem parte dos ganhos iniciais e operam com pequenas baixas na manhã desta terça-feira, com investidores monitorando os últimos desenvolvimentos políticos na zona do euro. O pan-europeu Stoxx 600 recua 0,08%, com setores e bolsas apontando em direções opostas.

O IBEX 35 da Espanha opera no vermelho, depois de notícias de que o Supremo Tribunal de Madrid tinha detido dois líderes separatistas catalães na segunda-feira. Além disso, o presidente catalão, Carles Puigdemont, não respondeu ao ultimato da Espanha para esclarecer se ele declararia oficialmente a independência na sessão anterior.

O FTSE 100 do Reino Unido opera em ligeira queda pesada em parte por um ligeiro recuo no setor de recursos básicos. Entre as mineradoras listadas em Londres, Anglo American cai 0,3%, Antofagasta recua 0,6%, enquanto Rio Tinto opera estável e BHP Biliton avança 0,6%.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, se reuniu na segunda-feira com importantes autoridades da UE em Bruxelas. Tanto May como o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, pediram que o ritmo das negociações da Brexit fosse acelerado. Ambos também comentaram sobre o fortalecimento da segurança na Europa, terrorismo e preservação do acordo nuclear do Irã.

Dois principais membros do Banco Central Europeu deverão apresentar observações nesta terça-feira. O vice-presidente Vítor Constancio é esperado em uma conferência sobre estabilidade financeira em Portugal, enquanto o membro do conselho executivo do BCE, Peter Praet, estará em Bruxelas numa conferência intitulada "Mais do que nunca, a Europa importa".

O Comitê do Tesouro do Reino Unido terá uma audiência com o governador do Banco de Inglaterra, Mark Carney, que provavelmente discutirá o desempenho e recentes trabalhos realizados pela instituição britânica.

O primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras estará em Washington na terça-feira, onde se reunirá com o presidente Donald Trump na Casa Branca. Espera-se que os líderes discutam uma série de tópicos, incluindo o investimento econômico e a cooperação para a defesa.

EUA:  Wall Street parece prontos para relaxar na abertura desta terça-feira após os três principais índices renovarem seus níveis recordes na segunda-feira, com investidores se concentrando nos relatórios da temporada de balanços corporativos do terceiro trimestre. Destaque para Morgan Stanley e Goldman Sachs.  UnitedHealth Group e Johnson & Johnson também divulgarão seus resultados antes da abertura e após o fechamento dos mercados, International Business Machines divulgará seus números.

O índice de preços de importação de setembro está programado para às 9h30. Às 10h15, serão divulgados os números da produção industrial e relatório sobre a capacidade utilizada para o mês de setembro, seguido do índice de construtor de casas para outubro às 11h00.

Nenhum discurso está agendado por autoridades do Federal Reserve.

HORÁRIO DE VERÃO: Com a entrada do horário de verão, a Bovespa ganha 1 hora e passa a funcionar das 10h00 às 18h00 (antes, era até as 17h00). O horário estendido, segundo a Bolsa, vale até o fim do horário de verão, em 19 de fevereiro de 2017.  De acordo com comunicado da Bolsa, a mudança ocorre devido ao início do horário de verão no Brasil e ao término do horário de verão nos EUA, em 6 de novembro.

Até sexta-feira, a bolsa estava operando no chamado "horário regular", que vale entre março e outubro, das 10h00 ás 17h00. Com o horário estendido, a Bovespa não terá o "after market" (negociações após o encerramento da sessão oficial).  

ÍNDICES FUTUROS - 7h40:
Dow: +0,03%
SP500: +0,01%
NASDAQ: -0,03%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

RESENHA DA BOLSA - SEGUNDA-FEIRA 16/10/2017

ÁSIA: A maioria dos principais índices asiáticos fechou em alta nesta segunda-feira, à medida que o apetite por ativos de risco global aumentou, reflexo do otimismo de Wall Street que renovou suas marcas recordes graças à inflação mais suave do que o esperado e com investidores digerindo o lançamento de dados da inflação da China.

A inflação de preço ao consumidor da segunda maior economia do mundo subiu 1,6% em setembro, ante um ano atrás, atendendo às expectativas. O índice de preços no produtor subiu 6,9% no mesmo período, acima da previsão de 6,3% de analistas de mercado. 

Os mercados do continente fecharam sem direção: o Shanghai Composite reverteu ganhos iniciais e caiu 0,35% e o Shenzhen Composite caiu 1,51%. O Índice Hang Seng de Hong Kong, entretanto, subiu 0,76%. Os analistas dizem que a melhoria da economia chinesa é um catalisador positivo para as ações listadas em Hong Kong, especialmente no setor financeiro, que possuem avaliações atrativas.

A China provavelmente será o destaque desta semana, quando acontece o 19º Congresso Nacional do Partido Comunista da China, que terá início em 18 de outubro e pode introduzir mudanças econômicas e políticas significativas.

Abaixo, o  ASX 200 subiu 0,56% e terminou a sessão em 5.846,8 pontos, com o subíndice de materiais subindo 1,55%, impulsionado por um aumento acentuado no preço do minério de ferro que seguiu os dados da sexta-feira, que mostrou que as importações da China aumentaram 18,7% em setembro, mais forte do que o esperado, com volumes de minério de ferro atingindo um novo recorde. O minério de ferro foi a US $ 62,53 a tonelada e os futuros chineses de minério de ferro subiu mais 2% na segunda-feira. Rio Tinto fechou em alta de 3,43%, a Fortescue Metals subiu 1,02% e a BHP saltou 2,24%. Fora das principais empresas, a mineradora de ouro Evolution Mining avançou 1,8% depois de dizer ao mercado que elevou a produção e reduziu os custos no trimestre de setembro. OZ Minerals subiu 1,5% depois de revelar que esperará o lançamento de ofertas para suas duas minas de cobre.

O Nikkei 225 do Japão subiu pelo décimo dia consecutivo, com ganhos renovando uma nova marca de 21 anos. O índice subiu 0,47%, para fechar em 21.255,56 pontos. Investidores japoneses estão focados na política à medida que o país se prepara para as eleições no final da semana.

Do outro lado do estreito coreano, o Kospi da Coreia do Sul fechou em alta de 0,26%, puxada por alta de ações de siderúrgicas e varejistas: Posco disparou 5,85%, Hyundai Steel fechou 2,39% maior e Amorepacific subiu 5,17%. Entre as "techs" fecharam sem direção. A LG Electronics subiu 0,9%, a LG Display adicionou 2,24% e SK Hynix caiu 2,21% e Samsung SDI despencou 6,71%. A Samsung Electronics fechou estável depois que a empresa anunciou na sexta-feira que esperava lucro recorde para o terceiro trimestre.  

Entre as commodities, os preços do petróleo subiram no comércio asiático, impulsionados por novas preocupações geopolíticas após os comentários do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre o acordo nuclear do Irã, bem como as tensões envolvendo os curdos no Iraque. 

EUROPA: Os mercados europeus sobe ligeiramente na segunda-feira de manhã, enquanto os investidores acompanham as últimas novidades políticas vindas da Áustria, da Espanha e do Reino Unido

O pan-europeu Stoxx 600 aumenta 0,15%, com a maioria dos setores se movendo em território positivo. O setor bancário figura entre os mais desfavorecidos, uma vez que a incerteza política afeta o sentimento do mercado. 

Os bancos espanhóis Caixabank, Bankia, Banco de Sabadell e BBVA pesam sobre a bolsa espanhola. Isso ocorre depois que o presidente da Catalã, Carles Puigdemont, se negar a esclarecer se declarou oficialmente a independência em sua resposta ao requisito do presidente do Governo central, Mariano Rajoy, se declarou a independência da comunidade autônoma na terça-feira passada. Ele disse, no entanto, que ele quer se encontrar com o primeiro-ministro Mariano Rajoy. O IBEX da Espanha caiu 0,5 por cento em negócios iniciais.

Por outro lado, o setor de recursos básicos registra o melhor desempenho no comércio inicial após dados positivos da China. O país viu o crescimento do preço ao produtor chegar a uma máxima de seis meses em setembro.

Entre ações individuais, a Eurotunnel estava no topo do benchmark europeu, subindo quase 4%, após uma atualização da Goldman Sachs. No entanto, as ações da ConvaTec despencam mais de 12% depois que a empresa cortou a previsão de receita para o ano inteiro e disse que foi "severamente" atingido pela questão da oferta em duas de suas divisões.

No Reino Unido, as mineradores listados em Londres lideram os ganhos após os dados de inflação da China, comprador importante de metais chave e com a força da libra ajudando os ganhos de ações do FTSE 100. O índice caiu 0,3% na sexta-feira, mas registou um ganho semanal de 0,2%. 

Os futuros de cobre sobem mais de 2% e os futuros de paládio avançam 1,48%, negociando acima de US $ 1.000 por onça. Ações do produtor de cobre Antofagasta sobe 2,86% e Anglo American avança 1,97%. Glencore sobe 1,77%, enquanto Rio Tinto sobe 2,24%.

Enquanto isso, a líder britânica Theresa May dirigirá a Bruxelas nesta segunda-feira para se encontrar com Jean-Claude Juncker, o presidente da Comissão Europeia e o negociador chefe da União Europeia, Michel Barnier. O anúncio ocorre após notícias na semana passada de que as negociações relacionadas ao Brexit entre o Reino Unido e a UE chegaram a um "estado de impasse", após a quinta rodada de negociações.

Em outros lugares, os investidores estão digerindo as últimas notícias eleitorais vindas da Áustria. O ministro das Relações Exteriores do país, Sebastian Kurz, declarou a vitória para o seu partido, o conservador Partido Popular Austríaco, já que o partido político estava prestes a vencer as eleições no domingo. Kurz fez campanha principalmente em uma posição difícil contra os imigrantes.

EUA: Os futuros do índice de ações dos EUA apontam para abrir em alta nesta segunda-feira, com a atenção dos investidores voltando para os próximos relatórios de ganhos corporativos. A temporada de resultados devem dominar as atenções em Wall Street, já que Charles Schwab, Netflix, Celanese, Ruby Tuesday e Sonic se preparam para publicar seus últimos números financeiros.

Entre os dados econômicos,  será divulgado a pesquisa do Empire State Manufacturing. Os investidores acompanham também os últimos comentários da presidente do banco central, Janet Yellen, que fez observações no domingo de que apesar de uma inflação moderada. Yellen disse em Washington que a economia dos EUA continua robusta e a força dos mercados de trabalho auxilia favoravelmente na decisão de um possível aumento gradual das taxas de juros.

Na segunda-feira, o presidente do Fed de Minneapolis, Neel Kashkari, deverá fazer observações no evento G100 Dinner and Discussion em Minneapolis, Minnesota.

HORÁRIO DE VERÃO: Com a entrada do horário de verão, a Bovespa ganha 1 hora e passa a funcionar das 10h00 às 18h00 (antes, era até as 17h00). O horário estendido, segundo a Bolsa, vale até o fim do horário de verão, em 19 de fevereiro de 2017.  De acordo com comunicado da Bolsa, a mudança ocorre devido ao início do horário de verão no Brasil e ao término do horário de verão nos EUA, em 6 de novembro.

Até sexta-feira, a bolsa estava operando no chamado "horário regular", que vale entre março e outubro, das 10h00 ás 17h00. Com o horário estendido, a Bovespa não terá o "after market" (negociações após o encerramento da sessão oficial).  

ÍNDICES FUTUROS - 8h00:
Dow: +0,08%
SP500: +0,04%
NASDAQ: +0,13%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

RESENHA DA BOLSA - QUARTA-FEIRA 11/10/2017

ÁSIA: O índice MSCI Ásia-Pacífico ex-Japão tocou em seu nível mais alto desde 2007 na manhã desta quarta-feira e fechou com ganhos de 0,33%, com outro fechamento recorde em Wall Street aumentando o otimismo regional.

Segundo analistas, os mercados parecem estar confortáveis ​​com o plano do Federal Reserve dos EUA de permanecer no seu caminho de aumentar suas taxas de juros, pois indica confiança de que a economia está acelerando. Embora investidores europeus e americanos possam retirar capital da Ásia, os fundamentos subjacentes da região estão bastante fortes.

O Nikkei 225 do Japão reverteu as perdas anteriores para fechar 0,28% maior, a 20.881,27 pontos, o maior fechamento desde dezembro de 1996. As montadoras foram pressionadas, mas a maioria das techs fecharam em alta: a Toyota caiu 0,97%, o Mazda Motor afundou 1,99%, enquanto Softbank Group terminou a sessão 0,39%maior.

As encomendas de máquinas para agosto lançadas na terça-feira subiu 3,4% em comparação com um mês atrás, muito acima da previsão média de aumento de 1,1% de analistas.

O Nikkei saltou 7% no último mês. Uma eleição em 22 de outubro, anunciada pelo primeiro-ministro Shinzo Abe em 25 de setembro, deverá manter sua coalizão no poder.

Do outro lado do estreito coreano, o Kospi subiu 1% para fechar em 2.458,16 pontos, com grandes players de tecnologia alcançando ganhos significativos. A Samsung Electronics subiu 3,48% e a SK Hynix fechou 0,45% maior após a alta na sessão anterior devido expectativas dos investidores em relação aos próximos resultados trimestrais.

Em Taiwan, o Taiex voltou as negociações depois de um feriado de quatro dias e fechou em alta de 1,03%. O benchmark, dominado por techs, sofreu um pouco no final do último trimestre à medida que as preocupações aumentavam devido desconfiança sobre as vendas iniciais dos novos iPhones da Apple.

Abaixo, o ASX 200 da Austrália subiu 0,59% para terminar em 5.772,14 pontos, seu nível mais alto em quase dois meses, com compra nos quatro grandes bancos ajudando a levantar o índice, assim como os subíndices de tecnologia da informação e de energia. Um preço mais fraco do minério de ferro deteriorou o sentimento em relação aos gigantes do setor de recursos. Rio Tinto fechou em baixa de 0,4%, enquanto a produtora exclusiva de minério de ferro Fortescue Metals caiu 1,8%. BHP Billiton ainda conseguiu fechar 0,5% maior, beneficiada pela alta do petróleo.

A China apresentou ganhos moderados. No continente, o Shanghai Composite subiu 0,18% e o Shenzhen Composite reverteu ganhos iniciais para fechar 0,18% menor.  O índice Hang Seng de Hong Kong fechou 0,36% menor, em 28.389.57 pontos. O yuan chinês estava em foco depois de atingir seus níveis mais altos em quase três semanas na sessão anterior. Antes da abertura de quarta-feira, o Banco Popular da China corrigiu o ponto médio yuan em 6.5841 por dólar, o mais alto em três semanas. O yuan onshore negociou em 6.5766 por dólar, enquanto o yuan offshore (paralelo) era um pouco mais firme em 6.5737.

O dólar aumentou as perdas depois de cair na sessão anterior, com  analistas atribuindo a queda da moeda no início da semana por conta das tensões entre os EUA e a Coreia do Norte. Acredita-se que o abrandamento do dólar também tenha sido devido a uma declaração do senador Bob Corker, presidente republicano do Comitê de Relações Exteriores do Senado, de que o presidente Trump estava tratando seu governo como "um reality show", com ameaças imprudente à outros países que poderiam colocar a nação "no caminho para a III Guerra Mundial". Os investidores estão cautelosos de que as acusações possa potencialmente descarrilar os planos republicanos de aprovar a reforma fiscal.

O índice do dólar, que rastreia a moeda dos EUA contra uma cesta de rivais, ficou em 93,153 durante o horário asiático, próximo de seus níveis mais baixos desde o início de outubro. Contra o iene, o dólar foi negociado em 112.26.

EUROPA: Os mercados europeus operam sem direção na manha desta quarta-feira, com investidores continuando a monitorar incertezas políticas em curso. O índice pan-europeu Europe Stoxx 600 recua 0,03% depois que o líder catalão Carles Puigdemont suspendeu por ora, os planos de independência.

O índice IBEX 35 da Espanha opera em alta, recuperando de uma perda de 0,9% na terça-feira, com investidores apreensivos com uma escalada da crise política espanhola a espera do discurso do no parlamento catalão no final da terça-feira. O líder separatista disse aos legisladores que ele ainda pretende declarar a independência para a região espanhola, mas estava suspendendo o processo de secessão para permitir as negociações com o governo central em Madrid. O movimento é visto como um resfriamento da crise política na Espanha, considerado o pior em quatro décadas e um passo atrás para uma possível divisão do país. O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, abordará a questão em um discurso no parlamento nacional na quarta-feira.

Bancos espanhóis registram ganhos na Europa depois que as negociações de independência foram suspensas. Banco de Sabadell sobe 1,14%, CaixaBank avança 1,63% e Banco Santander ganha 1,07%. Enquanto isso, o rendimento dos títulos do governo espanhol de 10 anos cai 4 pontos base para 1,651%, de acordo com a Tradeweb.

No Reino Unido, o FTSE 100 negociam em uma faixa apertada nesta quarta-feira, negociando apenas 0,2% abaixo do fechamento registrado em 26 de maio. O benchmark de Londres foi recentemente impulsionado por uma queda na libra e por uma renovação da confiança de que a primeira-ministra Theresa May pode manter o apoio do gabinete para seus planos Brexit.

May disse que a bola agora está com o tribunal da União Europeia para seguir as negociações. Ela também advertiu que o governo do Reino Unido está se preparando caso a separação falhar e terminar sem nenhum acordo com o Brexit. Os negociadores do Reino Unido estão em Bruxelas nesta semana para a quinta rodada de negociações, mas as discussões foram suspensas na quarta-feira. Os líderes da UE estão realizando uma reunião entre 19 a 20 de outubro para decidir se houve um progresso suficiente nas negociações do Brexit para avançar para a próxima fase no processo de separação, incluindo os principais acordos comerciais. O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, já disse que não houve "progresso suficiente" para novas discussões.

O líder do Partido Nacional escocês, Nicola Sturgeon, disse na terça-feira na conferência do partido que o Brexit reforçou o argumento para um segundo referendo de independência.

Entre as mineradoras listadas em Londres, Anglo American sobe 0,1%, destoando de outros pares. Antofagasta cai 0,2%, BHP Biliton cai 1,2% e Rio Tinto recua 0,4%.

Na agenda dos dados econômicos, a inflação espanhola em setembro caiu para 1,8%, ligeiramente abaixo das previsões de 1,9% dos analistas.

O ministro das Finanças holandês, Jeroen Dijsselbloem, disse que vai deixar a política quando um novo governo assumir o cargo em 25 de outubro. Ele completará seu mandato como presidente do Eurogrupo de ministros das finanças da zona do euro, que expira em janeiro.

Após o fechamento dos mercados europeus, é esperado a minuta da reunião de setembro do Federal Reserve dos EUA. A política monetária nos EUA é importante para os investidores na Europa, pois influencia os mercados em todo o mundo.

EUA: Os futuros de ações dos EUA apontam para poucas mudanças na abertura do pregão desta quarta-feira, colocando o Dow próximo do recorde do dia anterior. Os investidores aguardam a liberação da minuta da reunião de setembro do Federal Reserve, juntamente com a aceleração da temporada de balanços corporativos do terceiro trimestre.

Na terça-feira, o DJIA subiu 0,31% renovando novamente o topo histórico, em 22.830,68 pontos. O S & P 500 adicionou 0,23%, enquanto o Nasdaq Composite subiu 0,11%, com esses dois índices terminando logo abaixo do fechamento da semana passada. No ano, o Dow ganhou quase 16%, o S & P cresceu 14% e o Nasdaq aumentou 22%.

O lançamento da minuta do Fed, às 15h00, é o evento chave de hoje, com investidores esperando uma visão mais aprofundada sobre os planos da taxa de juros do Fed. A agenda do investidor ainda contempla o relatório sobre as ofertas de emprego de agosto, às 11h00.

Com a temporada de balanços do terceiro trimestre em andamento, hoje será divulgado os números da Delta e BlackRock e JP Morgan e Citigroup amanhã.

Três autoridades do Fed estão programados para falar. O presidente do Fed de Chicago, Charles Evans, falará sobre a economia e a política monetária na Suíça às 8h15. O presidente do Fed de São Francisco, dará um discurso aos líderes locais em Salt Lake City, Utah e o presidente do Fed de Atlanta, Raphael Bostic, discursará em Hong Kong.

ÍNDICES FUTUROS - 7h20:
Dow: -0,04%
SP500: -0,07%
NASDAQ: -0,02%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

terça-feira, 10 de outubro de 2017

RESENHA DA BOLSA - TERÇA-FEIRA 10/10/2017

ÁSIA: A maioria das bolsas asiáticas fechou em alta nesta terça-feira, apesar do fraco desempenho em Wall Street.

O Nikkei do Japão subiu 0,64%, para fechar em 20.823,51 pontos na volta de um fim de semana prolongado. As varejistas e o setor financeiro recuaram, enquanto as montadoras e techs fecharam sem direção: Toyota subiu 1,61%, Mazda Motor deslizou 1,33% e Sony caiu 0,65%.

Do outro lado do estreito coreano, o Kospi da Coréia do Sul subiu 1,64% e terminou a sessão em 2.433,81 pontos, com ganhos de ações de tecnologia diante otimismo sobre expectativas de lucro. A Samsung Electronics reagiu 2,96% e a SK Hynix disparou 7%.

O S & P / ASX 200 da Austrália fechou em baixa de 0,02%, em 5.738,1 pontos, com queda de 0,8% no subíndice de energia pesando sobre o índice mais amplo. Entre as mineradoras australianas, BHP Biliton caiu 0,3%, Rio Tinto recuou 0,1% e Fortescue fechou em alta de 0,5%. As posições "short" na Rio aumentaram para 9%, o nível mais alto desde 2010, de acordo com os dados da ASIC.

Enquanto isso, o índice Hang Seng de Hong Kong inverteu perdas iniciais para subir 0,58%. Os mercados da China continental também avançaram após subirem mais de 1% na sessão anterior. O Shanghai Composite subiu 0,27%, enquanto o Shenzhen Composite avançou 0,78%. O yuan firmou contra o dólar na terça-feira depois que o banco central da China elevou o ponto médio de sua moeda para 6.6273 um dólar, acima do ponto médio de 6.6493 da segunda-feira. Este foi a primeira vez que o ponto de referência foi ajustado para cima desde 22 de setembro. O yuan onshore negociou a 6.5956 por dólar, enquanto o yuan offshore (paralelo) negociou a 6.5848.

Segundo analistas, durante o 19º congresso do partido comunista, que começará em 18 de outubro na China, o banco central provavelmente tentará fornecer "uma estabilidade primordial" no mercado e uma plataforma melhor para incentivar o investimento estrangeiro na China.

Outras moedas asiáticas também seguiram a liderança do yuan e se fortaleceram contra o dólar americano. O greenback recuou 0,22% contra o dólar de Cingapura. O índice do dólar, que compila contra seis principais rivais, deslizou para 93,527. Contra o iene, a moeda dos EUA fechou em 112,64, ante 112,82 negociada na sessão anterior.

Entre as notícias econômicas, as reservas cambiais da China aumentaram US $ 17 bilhões em setembro para US $ 3,109 trilhões, segundo dados do People's Bank of China. Foi o oitavo aumento mensal consecutivo nas reservas de divisas do país e foi atribuído à regulamentação de restrição de saída de capital e um yuan mais firme. 

O excedente de conta corrente do Japão em agosto chegou em 2,38 trilhões de ienes (US $ 21,12 bilhões). Isso foi acima dos 2,26 trilhões de ienes estimados por economistas.

Os mercados de Taiwan continuaram fechados por conta de feriado público.

EUROPA: A maioria das principais bolsas europeias operam em queda no início das negociações desta terça-feira, enquanto os investidores monitoram as incertezas políticas em curso na região da Catalunha, Espanha. O Stoxx 600 recua 0,20% com vários setores e índices apontando em direções opostas.  Na segunda-feira, o índice pan-europeu subiu 0,2%, auxiliado em parte por ganhos para ações listadas na Espanha depois que centenas de milhares de pessoas se manifestaram contra a separação da Catalunha.

Nesta terça-feira, o IBEX 35 da Espanha desliza novamente. Os investidores esperam para ouvir o que o presidente catalão Carles Puigdemont vai dizer em um discurso no parlamento regional após o fechamento do mercado, 18h00 (horário local) ou 13h00 (horário de Brasilia). Em particular, o foco é se ele declarará a independência da Catalunha após o referendo da semana passada. Entre as quedas no IBEX 35, ações do Banco Santander recuam 1,80% e BBVA caem 1,45%.

Embora o movimento tenha sido chamado de simbólico e as autoridades espanholas tenham reagido violentamente contra as manifestações públicas, a incerteza em torno da situação poderia piorar, o que provavelmente pode afetar negativamente o euro, mas a moeda comum sobe frente ao dólar nesta terça-feira, negociando em US $ 1,1778, ante $ 1,1748 no final da segunda-feira em Nova York. Essa alta se deve aos comentários "hawkish" de Sabine Lautenschlaeger, membro da Comissão Consultiva do Banco Central Europeu, que disse na segunda-feira que o banco central deveria começar a reduzir seu programa agressivo de compra de títulos no próximo ano. O Conselho do BCE  reunirá em 26 de outubro.

O grupo de artigos de luxo francês, LVMH, sobe 2% nos primeiros negócios, próximo de seu recorde depois de reportar um crescimento de receita mais forte do que o esperado para o terceiro trimestre. Enquanto isso, ações de montadoras de automóveis e de saúde estavam sendo negociados em ligeira baixa logo após o sino de abertura. 

O FTSE 100 do Reino Unido descola de seus pares regionais e avança nesta terça-feira, liderado por ganhos nas ações financeiras e de bens de consumo. Na segunda-feira, o índice caiu 0,2%. Ações de algumas mineradoras sobem, favorecidas pela alta de metais denominados em dólares, como ouro e cobre, diante da queda do índice do dólar. Os produtores de cobre Antofagasta e Fresnillo sobem 1,17 e 0,3% respectivamente, enquanto a produtora de ouro Randgold Resources avança 1%. BHP Biliton sobe 0,5%, mas Anglo American, Glencore e Rio Tinto perdem 0,5, 0,1 e 0,8%, respectivamente. Ações do setor financeiro também opera em alta em Londres: HSBC Holdings sobe 0,97% e Direct Line Insurance Group sobe 1,43%.

Entre os dados econômicos, as exportações alemãs em agosto cresceram 3,1% frente a julho e 7,2% em relação ao mesmo mês de 2016, devido a forte demanda da zona do euro.  A produção industrial francesa em agosto caiu inesperadamente 0,3% em relação a julho, ante expectativa de ganho esperado de 0,4%. O déficit comercial do Reino Unido em bens cresceu para 14,2 bilhões de libras (US $ 18,6 bilhões) em agosto, atingindo o maior nível registrado, devido queda na exportação de combustíveis e um aumento nas importações de maquinários mecânicos.

A primeira-ministra Theresa May fez um discurso no parlamento na segunda-feira, anunciando que haverá um período de transição de dois anos após a saída da Grã-Bretanha da União Europeia, alegando que embora o "progresso real e tangível" tenha sido feito, também pode-se dizer que os preparativos também estão em andamento, caso não haja acordo sobre as futuras relações comerciais entre o Reino Unido e o resto do bloco.

EUA: Os futuros de ações dos Estados Unidos apontam para uma ligeira alta na abertura da sessão em Wall Street, com investidores se concentrando no início da temporada de balanços corporativos do terceiro trimestre que começou semana passada.

Na segunda-feira, o Dow Jones Industrial Average, DJIA, mergulhou 0,6%, para 22.761 pontos, embora tenha atingido um recorde intraday em 22.803,37 pontos no início da negociação. O S & P 500  escorregou 0,18% para 2.545 pontos e o Nasdaq Composite Index caiu 0,16% para 6.580 pontos, terminando uma sequência de nove dias de alta.

Os investidores esperam ouvir dicas sobre políticas nos comentários das autoridades do Federal Reserve hoje, antes do lançamento da minuta do Fed na quarta-feira. O presidente do Fed de Minneapolis, Neel Kashkari, deve fazer observações de boas-vindas na conferência do banco sobre as condições econômicas regionais às 11h00. Mais tarde, o presidente do Fed de Dallas, Rob Kaplan, aparecerá em uma discussão moderada no Stanford Institute for Economic Policy, em Stanford, Califórnia, às 9 horas.

A temporada de balanços do terceiro trimestre começa a ficar séria com relatórios da BlackRock e Delta Air Lines na quarta-feira. JP Morgan Chase e Citigroup informarão quinta-feira, seguido pelo Bank of America e Wells Fargo na sexta-feira.

As relações externas dos EUA também tem dominado as notícias. Uma disputa diplomática com a Turquia continua em curso, onde os serviços de visto dos EUA foram suspensos após a prisão de um funcionário turco do consulado dos EUA. A lira turca e as ações caem. A tensão entre os EUA e o Irã também continua a ferver e o último país prometeu uma resposta "esmagadora" se os EUA julgarem sua força militar de elite, a Guarda Revolucionária, um grupo terrorista.

ÍNDICES FUTUROS - 7h50:
Dow: +0,15%
SP500: +0,14%
NASDAQ: +0,17%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

RESENHA DA BOLSA - SEGUNDA-FEIRA 09/10/2017

ÁSIA: Com os mercados do Japão, Coréia do Sul e Taiwan fechados para feriados públicos, os investidores voltaram suas atenções para a China, que retomaram as negociações após o feriado de "Golden week" de uma semana e digeriam novos dados da China e o aumento das tensões geopolíticas na península coreana. 

O índice PMI de serviços da Caixin mostrou que a atividade não industrial na China expandiu em seus níveis mais lentos em quase dois anos no mês de setembro. O PMI Caixin/Markit ficou em 50,6 no mês passado, em comparação com de 52,7 observado em agosto. Enquanto isso, o PMI composto da Caixin ficou em 51,4 em setembro, abaixo dos 52,4 em agosto, ainda assim, os índices permaneceram acima da marca de 50, indicando expansão. Segundo analistas, o crescimento econômico chinês pode desacelerar no terceiro trimestre, mas permanece "no caminho certo" para atingir o objetivo do governo no ano de 2017.

O dólar australiano, muitas vezes sensível aos dados econômicos chineses, mergulhou para US $ 0,7763 após o lançamento depois de negociar a US $ 0,7782 anteriormente. A moeda foi negociada pela última vez em US $ 0,7756. O S & P / ASX 200 subiu 0,5%, para fechar em 5.739,3 pontos, com um forte desempenho do setor bancário. As principais mineradoras australianas desistiram de ganhos iniciais para fechar em baixa. South32 diminuiu 1,8%, Fortescue Metals perdeu 2,9%, BHP caiu 0,2% e Iluka Resources perdeu 1,2%.

Enquanto isso, ações de ouro alcançaram ganhos significativos após relatórios na mídia estatal norte coreana de que o líder Kim Jong Un havia defendido seu programa de armas nucleares em um discurso de fim de semana. O presidente Donald Trump também tweetou no sábado que "apenas uma coisa funcionará" para controlar as ambições nucleares de Pyongyang, sem especificar qual seria essa medida. Alacer Gold fechou em alta de 3,14% e Kingsgate avançou 3,7%. O subíndice de energia apresentou desempenho inferior ao do mercado, fechando 0,2% abaixo da linha plana depois que o petróleo caiu em Nova York na sexta-feira. As ações da Woodside Petroleum caíram 0,6% e o Santos caiu 1%.

Os mercados da China fecharam em alta, após feriado de  uma semana. O Shanghai Composite subiu 0,77% e o Shenzhen Composite subiu 1,30% depois que o People's Bank of China disse que iria aliviar alguns requisitos de depósito se os objetivos de empréstimos para financiamento para pequenas empresas fossem atendidos. O CSI 300 de blue chip alcançou 1,19% de alta e tocou em seus níveis mais altos desde 2015. O índice Hang Seng de Hong Kong caiu 0,46% depois de atingir a máxima de 10 anos na sexta-feira, pesada por alguns empreendedores imobiliários chineses.

EUROPA: Os mercados europeus ganham terreno nesta segunda-feira, apoiado no avanço das ações espanholas e na força dos dados econômicos alemães. O índice Stoxx Europe 600 sobe 0,3% para 390,71, com apenas o setor de materiais básicos recuando. O índice caiu 0,4% na sexta-feira, mas registrou um ganho semanal de 0,3%.

O IBEX 35 da Espanha lidera os ganhos regionais, atingindo a marca dos 10.306,80 pontos, seu maior nível intraday desde o 2 de outubro, depois que centenas de milhares de pessoas se reuniram no domingo para protestar contra o movimento separatista da Catalunha. A manifestação foi organizada pela Sociedade Civil Catalã, um grupo anti-separatista.

Entre as altas do índice, as ações do Banco de Sabadell sobe 1,93% e CaixaBank avança 1,79%. Os bancos na semana passada disseram que iria mudar a sede da região da Catalunha. O referendo de independência da Catalunha em 1 de outubro foi declarado ilegal pelo primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy.

A segunda-feira começa com números mostrando que o produção industrial alemão cresceu 2,6% em agosto, superando as expectativas de um aumento de 0,9% de economistas. O índice DAX da Alemanha atinge um novo recorde histórico após dados positivos da maior economia da zona do euro. O Deutsche Bank registra uma queda de 1,03% após um relatório do Wall Street Journal dizendo que há uma divergência entre o banco alemão e seu maior acionista, o HNA Group, um conglomerado chinês com participação de quase 10% no banco. 

O FTSE 100 do Reino Unido opera em baixa após fechar no nível mais alto desde 8 de agosto na sexta-feira. O índice de referência de Londres ainda terminou na semana passada com um ganho de 2%, o maior desde dezembro do ano passado, mesmo depois de uma nova turbulência no Partido conservador do governo, o que derrubou a libra, mas nesta segunda-feira a libra esterlina recupera parte de seu brilho, negociando em US $ 1,3115, em comparação com US $ 1,3069 no final da sexta-feira em Nova York. O ganho ocorre depois de relatórios que a primeira-ministra Theresa May poderia reorganizar seu gabinete e deixar de fora o secretário de Relações Exteriores, Boris Johnson, que criticou os planos do Brexit de May. 

A quinta rodada de negociações do Brexit entre o Reino Unido e a UE deve começar em Bruxelas nesta semana. A primeira-ministra do Reino Unido deverá confirmar sua liderança em um discurso no parlamento da Grã-Bretanha na segunda-feira, no qual ela irá dizer que a "bola está com o tribunal da UE".

Os preços do ouro avançam nesta segunda-feira em Londres, depois que o presidente Donald Trump, em uma série de tweets no fim de semana trouxe os medos de uma disputa nuclear entre a Coreia do Norte e os EUA de volta. Isso impulsionou as produtoras de ouro listados no Reino Unido. Fresnillo sobe 0,77% e Randgold Resources avança 1,01%. Fora do índice principal, Hochschild Mining dispara 4,69% e Acacia Mining sobe 3,80%. Entretanto outras mineradoras são negociados em queda, após dados de atividades do setor de serviços decepcionantes da China. O país é um dos principais usuários de recursos naturais, então qualquer indicação de que o crescimento está abrandando tende a atingir o setor de mineração. Anglo American cai 1,1%, BHP Biliton recua 0,1% e Rio Tinto opera em baixa de 0,9%.

O Banco Central Europeu (BCE) divulgou os resultados dos testes de estresse sobre o potencial impacto das mudanças nas taxas de juros no sistema bancário da área. O BCE disse que o risco da taxa de juros é bem gerenciado na maioria dos bancos europeus.

Ainda entre as notícias na Europa, os ministros das finanças das nações da zona do euro estão convocando uma reunião em Luxemburgo. Será o último do ministro alemão Wolfgang Schaeuble.

EUA: Os futuros do índice de ações dos EUA apontam para uma abertura um pouco maior nesta segunda-feira, com investidores voltando suas atenções para os desenvolvimentos políticos internos bem como no exterior. Os bancos americanos estarão fechados para o feriado de Columbus Day, assim como o mercado de títulos embora os mercados de ações permaneçam abertos.

Durante o fim de semana, o presidente dos EUA, Donald Trump, pediu mais dinheiro para financiar o muro na fronteira com o México, enquanto os Democratas do Congresso rejeitaram essa chamada.

Enquanto isso, as tensões entre os EUA e a Turquia serão observadas de perto, depois que surgiu notícias que a embaixada dos EUA em Ancara anunciou a suspensão dos serviços de vistos por razões de segurança.

Por outro lado, é provável que os mercados continuem a analisar o número de empregos da sexta-feira, uma vez que o Bureau of Labor Statistics revelou que a folha de pagamento não agrícolas dos EUA diminuíram 33 mil no mês anterior, devido os recentes estragos dos furacões na região. Os economistas esperavam uma adição de 90 mil empregos em setembro e não uma perda.

Na sexta-feira, o Dow e o S & P 500 recuaram após o relatório mensal de empregos distorcido pelos furacões Irma e Harvey, mas cada índice ainda ganhou mais de 1% durante a semana. O Nasdaq Composite Index subiu na sexta-feira e alcançou outra máxima de fechamento absoluto.

O Dow ganhou 15% no ano, enquanto o S & P cresceu 14% e o Nasdaq Composite aumentou 22%.

Não há discursos do Federal Reserve e nenhum relatório econômico importante dos EUA na agenda desta segunda-feira.

Na Europa, a quinta rodada de negociações da Brexit entre o Reino Unido e a União Europeia deverá começar em Bruxelas na segunda-feira. Enquanto isso, os investidores também estarão atentos à Espanha e à instabilidade política em torno da Catalunha.

O furacão Nate atingiu a terra no Mississippi e desde então foi rebaixado para uma tempestade tropical. Isso causou inundações, mas nenhum dano importante nos EUA.

ÍNDICES FUTUROS - 7h10:
Dow: +0,14%
SP500: +0,14%
NASDAQ: +0,18%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

RESENHA DA BOLSA - SEXTA-FEIRA 08/10/2017

ÁSIA: Os principais mercados da Ásia fecharam em alta nesta sexta-feira, seguindo outro fechamento positivo em Wall Street e com investidores aguardando os dados do mercado de trabalho dos Estados Unidos. O relatório de empregos de setembro pode ter sido impactado pela temporada de furacões, principalmente depois do Harvey e Irma. Observadores de mercados acreditam que cerca de 125 mil postos de trabalho podem ter sido eliminado em setembro.

O ASX 200 da Austrália avançou 1,04%, para 5.710,7, com o setor de serviços públicos terminando em território positivo. O subíndice financeiro fortemente ponderado aumentou 1,14% à medida que os chamado "Big Four" do país avançaram. As ações da ANZ subiram 1,34%, o Commonwealth Bank cresceu 1,3%, Westpac subiu 1,32% e National Australia Bank subiu 1,13%. Entre as mineradoras australianas, BHP Biliton avançou 1,6% e Rio Tinto adicionou 1,9%.

No Japão, o Nikkei fechou em alta de 0,3%, em 20.690,71 pontos, enquanto o índice Topix avançou 0,28%, após o iene japonês enfraquecer e negociar em 113 por dólar, ante 112,74 da sessão anterior.

O índice Hang Seng de Hong Kong subiu 0,28% na volta de um feriado público na quinta-feira. Enquanto isso, o Nifty 50 da Índia e o Sensex subiram 0,72 e 0,54%, respectivamente.

Os mercados na China e na Coréia do Sul permaneceram fechados por conta de feriados públicos.

Segundo analistas, a economia global está ficando mais forte. As ações dos EUA, da zona do euro e do Japão tiveram bons ganhos na última semana, mas as ações australianas permaneceram relativamente fracas, refletindo uma perspectiva de crescimento relativamente menos positiva.

EUROPA: As bolsas europeias é dominado pelo sentimento negativo nesta sexta-feira, já que os investidores digeriram uma semana tumultuada com o drama político na Espanha e no Reino Unido, mas se concentraram no relatório mensal de empregos dos EUA que será divulgado as 9h30 (horário de Brasília).

O índice Stoxx Europe 600 cai 0,2% para 390,35, reduzindo seu ganho semanal para 0,6%.

O euro cai para US $ 1,1697, ante US $ 1,1711 na quinta-feira, com investidores comprando dólares antes do relatório de folha de pagamento não agrícola dos EUA. Espera-se que o relatório de trabalho forneça pistas adicionais sobre a probabilidade de um aumento da taxa de juros de dezembro pelo Federal Reserve dos EUA, que poderia afetar os desempenhos dos mercados financeiros ao redor do mundo. 

o Stoxx Europe 600 pan-europeu virou e caiu durante a maior parte da semana, golpeado por eventos na Catalunha, onde os separatistas se comprometeram a declarar a independência da região da Espanha.

O governo do primeiro-ministro espanhol Mariano Rajoy foi criticado por sua resposta violenta ao referendo de domingo sobre a independência e os desenvolvimentos subsequentes. Líderes separatistas pareciam estar prontos para declarar a independência já na próxima semana, mas as autoridades nacionais fecharam o parlamento regional na quinta-feira. A decisão de ontem do tribunal constitucional espanhol de suspender o parlamento catalão na segunda-feira não foi inteiramente inesperada, já que o governo de Madrid tenta conter a independência catalã.

Os ativos espanhóis sofrem: o índice espanhol IBEX 35 cai e segue em baixa para uma queda de 2,3% na semana. O índice caiu 0,8% na sexta-feira, liderado por perdas dos bancos. Hoje, as ações do Banco de Sabadell caem 1,78% e CaixaBank perde 1,78%. Eles se reuniram na quinta-feira buscando mudar suas sedes para fora da Catalunha.

Na sexta-feira, o jornal espanhol El Mundo informou que o principal produtor de cava Freixenet também estava considerando mudar seu endereço corporativo para fora da região.

O índice CAC 40 da França recua ligeiramente após números do déficit comercial e de conta corrente do país mostrar enfraquecimento em agosto à medida que as exportações do país se fortaleceram.

O índice DAX 30 da Alemanha avança, após um relatório mostrar que as encomendas para o setor industrial da Alemanha aumentaram em agosto, mais do que compensando o declínio inesperado de julho.

O índice FTSE 100 do Reino Unido também opera em alta, impulsionado por uma libra mais fraca. A libra cai para US $ 1,3076, ante US $ 1,3118 do final de quinta-feira, em Nova York, quando houve especulação de que o Reino Unido está indo para outras eleições gerais após novas pessóes sobre a primeira-ministra Theresa May. A libra segue no caminho para uma perda semanal de 2,4%, a pior semana desde o início de outubro do ano passado.

As mineradoras listadas na LSE avançam ligeiramente. Anglo American sobe 0,6%, Antofagasta sobe 0,8% e entre as gigantes, BHP Biliton e Rio Tinto operam em alta de 0,4 e 0,6%, respectivamente. 

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA apontam para uma sexta-feira sem muita graça, já que o último relatório sobre os empregos dos EUA e os discursos das autoridades do Fed devem tomar os foco dos holofotes. 

O payrolls, juntamente com os salários médios por hora e os dados da taxa de desemprego, que compõe os dados de folha de pagamento não agrícola deve fornecer uma visão de como a economia e o mercado de trabalho dos EUA tem estado, especialmente com os recentes furacões que causaram estragos na região.

O banco de investimentos, Goldman Sachs, disse em uma nota que espera que o crescimento da folha de pagamento não agrícola tenha diminuído para cerca de 50 mil novos empregos adicionados em setembro, abaixo das previsões de consenso de cerca de 80 mil, bem como a média de cerca de 185 mil nos três meses. Segundo o banco, a previsão reflete as inundações generalizadas e as quedas de energia causadas pelos furacões Harvey e Irma, que afetaram mais de 10% da população e causaram mais de US $ 100 bilhões em danos", mas que o impacto era "altamente incerto".

O comércio por atacado será lançado às 11h00, enquanto o crédito ao consumidor será lançado às 16h00.

As ações tiveram uma semana de alta, com o S & P publicando seu sexto recorde consecutivo na quinta-feira. Essa série é a mais longa do índice desde 1997. O Dow e Nasdaq também apresentaram alta. O Russell 2000 também atingiu as máximas históricas nesta semana.

Vários membros do Federal Reserve dos EUA entregarão suas observações na sexta-feira. O presidente do Fed de Atlanta, Raphael Bostic e o presidente do Fed de Dallas, Robert Kaplan, serão os últimos a falar em Austin na conferência Investing in American Workforce Capstone.

O presidente do Fed de Nova York, William Dudley, provavelmente estará falando sobre a importância do ensino superior para a mobilidade econômica na 56ª Conferência Anual de Alfabetização Financeira e Educação Econômica, que deverá ocorrer em Nova York, enquanto isso, no Missouri, o presidente do Fed de St. Louis, James Bullard, estará no encontro anual Bi-State Development 2017, em St. Louis.

O Índice de Volatilidade CBOE VIX, que mede a volatilidade em Wall Street terminou a sessão de quinta-feira na maior baixa de todos os tempos, destacando um período prolongado de calma do mercado, já que as ações continuam escalando novos recordes. O VIX fechou em 9,19, a menor marca de fechamento do indicador desde 22 de dezembro de 1993, quando terminou em 9,31. O indicador foi criado no mesmo ano.

O índice usa apostas de opções de alta e baixa no índice S & P 500 para refletir a volatilidade esperada nos próximos 30 dias. Como as ações tendem a cair mais rápido do que eles aumentam, o índice é visto como um indicador dos receios dos investidores de uma queda no mercado. Ele geralmente se move na direção oposta das ações.

ÍNDICES FUTUROS - 8h40:
Dow: -0,03%
SP500: -0,05%
NASDAQ: +0,05%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

RESENHA DA BOLSA - QUINTA-FEIRA 05/10/2017

ÁSIA: Em um dia em que vários mercados da Ásia continuaram fechados, as praças que operaram, não conseguiram definir uma direção nesta quinta-feira, apesar de Wall Streeet registrar novos recordes. 

Analistas acreditam que os investidores asiáticos preferiram manter uma posição de cautela, antes do Payrolls na sexta-feira, devido incertezas devido possíveis impactos dos furacões.

Algumas varejistas australianas sofreram após as vendas no varejo do país cair 0,6% em agosto, segundo dados do Australian Bureau of Statistics, ante aumento de 0,3% esperado por analistas, o pior declínio nas vendas desde o início de 2013. Houve queda no setor de alimentos, cafés, restaurantes e delivery de comida, artigos domésticos, roupas, calçados e acessórios pessoais. As lojas de departamento registraram melhora nas vendas. O índice de vendas no varejo de julho também foi revisado para uma queda de 0,2%.

Economista do National Australia Bank não sabem porque as vendas no varejo caíram como um todo em agosto. "Os dados de transação da NAB sugeriram isso, no entanto, não houve eventos macro evidentes para explicar tal fraqueza". 

Em uma nota mais positiva, a balança comercial australiana registrou um superávit ajustado sazonalmente de 989 milhões de dólares australianos (US $ 774,81 milhões) em agosto, superando a previsão do mercado de US $ 875 milhões. A melhora da balança comercial foi impulsionada por um sólido aumento no valor das exportações, aumento de 0,5% em relação ao mês em agosto, com exportações mais fortes de minérios metálicos e minerais e uma recuperação sólida nos serviços de exportação, enquanto as importações se mantiveram estáveis no mês anterior, outro sinal de uma economia doméstica lenta.

O ASX 200 da Austrália terminou a sessão em queda de 0,1%, em 5.651,8 pontos. O setor financeiro fortemente ponderado também escorregou. As ações dos chamados "Big Four" também recuaram: ANZ caiu 0,51%, Commonwealth Bank caiu 0,11%, Westpac caiu 0,44%e National Australia Bank recuou 0,45%. Entre as mineradoras australianas, fortes exportadoras, BHP Biliton fechou em alta de 0,2%, Fortescue Metals avançou 0,1% e Rio Tinto subiu 0,8%.

No Japão, o Nikkei  desistiu dos ganhos iniciais e fechou quase estável, com alta de apenas 0,1%, em 20.628,56 pontos, enquanto o índice Topix caiu 0,12%, em 1.682,49 pontos. Pequenos ganhos no dólar americano versus o iene ajudou a apoiar as ações dos exportadores, uma vez que um iene mais fraco aumenta o valor em moeda local dos dólares obtidos pelos exportadores japoneses no exterior.

Em outros lugares, o Nifty 50 da Índia caiu 0,18%, enquanto o índice Straits Times de Cingapura subiu 0,77% após duas sessões consecutivas de quedas, com os setores imobiliário e bancário liderando a recuperação. Em Taiwan, o Taiex subiu 0,47% depois de ficar fechado na quarta-feira.

Os mercados na China, Hong Kong e Coréia do Sul estão fechados por conta de feriados.

EUROPA: As bolsas europeias operam majoritariamente em baixa, com investidores continuando a monitorar os desenvolvimentos políticos na Espanha. O índice Stoxx Europe 600 cai 0,26%.

O índice IBEX 35 da Espanha recupera depois de registrar a maior perda em 15 meses na quarta-feira. As ações espanholas foram castigadas nos últimos dias depois das cenas de violência durante referendo de independência no domingo na Catalunha e com Madrid declarando a ilegalidade do referendo.

A disputa entre o governo central e os separatistas se aprofundou na quarta-feira. Lideres catalães estão em curso para declarar a independência na segunda-feira. Cerca de 90% dos eleitores votaram pela independência, mas menos de 50% do povo catalão participou do referendo. O representante regional, Carles Puigdemont, em um discurso televisionado na quarta-feira à noite, disse que está aberto a um processo de mediação, mas que o governo rejeitou. Ele também acusou o rei Felipe VI de atuar como porta-voz de Madrid, dizendo que o discurso do rei na terça decepcionou muitos na Catalunha, que apreciam o rei e esperava por um apelo por diálogo e harmonia.

O setor bancário sofre com as preocupações com a instabilidade política na Espanha e notícias de que o Banco Central Europeu poderia exigir garantias por empréstimos.

No Reino Unido o FTSE 100 marcha para cima, um dia depois de quebrar um rali de cinco sessões, quando caiu 0,01%. O benchmark londrino é sustentada pela alta das mineradoras que se beneficiam da valorização dos principais metais nesta quinta-feira. Glencore sobe 1,6%, Anglo American avança 1,5%, Rio Tinto adiciona 0,7% e BHP Biliton sobe 0,5%.

Os investidores também estão atentos na minuta da última reunião do Banco Central Europeu para obter indicações sobre o que o banco planeja nos próximos meses.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA apontam para uma abertura relativamente plana, com investidores aguardando o lançamentos de dados econômicos, discursos do Federal Reserve dos EUA e o payrolls de amanhã.

Na sessão anterior, Wall Street terminou o dia de negociação em novos recordes, com Dow Jones atingindo a máxima de fechamento de todos os tempos, em 22.661,64 pontos, após o lançamento de um forte lote de dados econômicos na quarta-feira.

As notícias do banco central dos EUA devem dominar a sessão, uma vez que vários membros do Fed devem se manifestar. O governador do Fed, Jerome Powell, estará em Nova York, no evento "TMPG Best Practices: A Look Back and a Look Ahead", às 10h10. Enquanto isso, no Missouri, o presidente do Fed de São Francisco, John Williams, será a principal estrela na Community Banking no 21st Century Research and Policy Conference em St. Louis às 9h15. Em Austin, o presidente do Fed da Filadélfia, Patrick Harker, estará falando na conferência Inverter na força de trabalho da América às 10h30, enquanto a presidente da Fed de Kansas City, Esther George, falará na conferência sobre a "polarização do trabalho e o mercado de trabalho dos EUA na mesma conferência às 17h30.

Os pedidos semanais de desemprego são devidos às 9h30, juntamente com o déficit comercial de agosto. Os pedidos das fábricas para agosto são esperadas às 11 horas.

Espera-se também que a Câmara vote em seu orçamento fiscal para 2018 nesta quinta-feira, o que manterá o tema da reforma tributária na memória dos investidores.

ÍNDICES FUTUROS - 7h20:
Dow: +0,02%
SP500: +0,01%
NASDAQ: +0,06%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

RESENHA DA BOLSA - QUARTA-FEIRA 04/10/2017

ÁSIA: Os mercados da Ásia fecharam misturadas nesta quarta-feira, mesmo depois que as bolsas dos EUA renovaram suas máximas históricas.

No Japão, o Nikkei devolveu parte de seus ganhos matinais para fechar quase estável em 20.626,66 pontos. O iene japonês foi negociado em 112,56 por dólar, fortalecendo-se ante níveis próximos de 113,1 na sessão anterior.

o índice Hang Seng de Hong Kong subiu 0,67%, após registrar um ganho de 2,2% na terça-feira, seu melhor desempenho diário em mais de um ano e flerta a sua máxima de 10 anos. Destaque para a alta de quase 8% para as ações da fabricante chinesa de veículos elétricos BYD. O Hang Seng subiu 28% até terça-feira e configura entre um dos índices de ações com melhor desempenho do mundo neste ano. Os mercados de Hong Kong fecharão nesta quinta-feira. Taiwan também está fechado para um feriado nesta quarta-feira. 

O índice Straits Times de Cingapura caiu 0,37%, enquanto o Nifty 50 da Índia subiu 0,58%, com investidores aguardando a decisão de política monetária do Reserve Bank of India (RBI) nesta quarta-feira. Muitos analistas esperam que o banco central deixe tudo como está e mantenha a taxa de recompra em 6%.

Na Austrália, o índice de referência ASX 200 caiu 0,87%, para 5.652,1 pontos, com quedas nos subíndice de energia, recursos naturais e o no  setor financeiro fortemente ponderado. ANZ caiu 2,11%, Westpac recuou 0,87% e  National Australia Bank recuou 1,21%. As ações do Commonwealth Bank diminuiu a tendência de queda e subiu 0,32% após os analistas da Bell Potter atualizarem o banco para comprar, dizendo que o mercado havia reagido demais por conta das potenciais multas devido desconformidade com os leis de lavagem dinheiro.

Entre as mineradoras, BHP caiu 0,6%, a Rio Tinto declinou 1,5% e Fortescue perdeu 2%. A produtora de lítio Galaxy Resources subiu 2,4%, avançando pelo quinto dia consecutivo. A Galaxy saltou quase 6% na terça-feira depois de fechar um acordo para fornecer sua commodity para a fabricante de bateria da Tesla, a Panasonic.

Ao contrário do sharemarket americano, que começou no mês de outubro marcando novos recorde, o ASX está lutando dentro da faixa de negócios em que está preso desde meados de maio.

Os mercados na China e na Coreia do Sul permanecem fechados por conta de feriados.

EUROPA: As bolsas europeias operam em baixa na manhã desta quarta-feira, enquanto os investidores observam de perto os eventos na Catalunha e digerem lançamentos de novos dados econômicos. O pan-europeu Stoxx 600 cai 0,19% e segue no caminho para quebrar uma série de nove dias de alta, a mais longa desde julho de 2015.

O setor de varejo segue entre os de pior desempenho nos negócios do meio da manhã, assim como as ações relacionadas com petróleo, já que os investidores duvidam que a recente alta dos preços permanecerá. Enquanto isso, montadoras de automóveis ganham, favorecidos por números positivos de vendas de automóveis fora dos EUA na terça-feira.

Entre outras notícias corporativas, a fabricante de pneus Pirelli retornou à bolsa italiana na manhã de quarta-feira. O papel é negociado em baixa, mas seu CEO disse que é muito cedo para avaliar a reação do mercado.

As ações da Espanha permanecem sob pressão enquanto uma crise constitucional cresce no país. O chefe do governo descentrado da Catalunha, Carles Puigdemont, disse que sua administração declarará a independência da Espanha "no final desta semana ou no início da próxima". Além disso, o rei Felipe emitiu um discurso televisionado na terça-feira acusando os separatistas da Catalunha de minar a harmonia e chamou a situação de "extremamente grave". 

Segundo analistas, dada a sua histórica turbulência e fortes laços com a economia, os especuladores "short" devem atacar os bancos espanhóis durante a instabilidade política envolvendo a Catalunha. O IBEX 35 cai, negociando em torno de seu nível mais baixo desde março. Ações do Banco de Sabadell despencam 5,28%, CaixaBank perde 4,54%, Bankia recua 3,70% e BBVA opera em baixa de 2,83%.

O índice CAC 40 da França e o índice FTSE 100 do Reino Unido também operam em baixa. 

O índice de referência de Londres sofre a pressão da força da libra depois que o índice PMI de serviços do Reino Unido teve uma leitura melhor do que o esperado. A libra é negociado a US $ 1,3271, ante US $ 1,3239 no final da terça-feira em Nova York. A libra tem tido dificuldades nos últimos dias, caindo para uma mínima de três semanas contra o dólar na terça-feira, depois que o índice PMI de construção ficou a previsão e indicou que o setor está contraindo.

As mineradoras negociam em ligeira alta em Londres. Anglo American sobe 0,8%, Antofagasta sobe 0,3%, BHP Biliton e Rio Tinto sobem 0,7% cada.

O índice alemão DAX 30 opera em alta e segue a caminho de um novo recorde. Não houve negociação na terça-feira em observação ao Dia da Unidade Alemã.

O euro sobe para US $ 1,1759, ante US $ 1,1746 na terça-feira. O PMI composto final para a zona do euro em setembro foi confirmado em 56,7, ante 55,7 em agosto. A IHS Markit disse que as empresas da zona do euro expandiram em setembro devido forte demanda.  Enquanto isso, as vendas no varejo na zona do euro caíram 0,5% em agosto, abaixo das previsões

EUA: Os futuros de ações dos EUA apontam para poucas mudanças na abertura desta quarta-feira, fazendo o Dow dar um suspiro após subir por cinco sessões e renovar topos históricos sucessivamente.

O relatório de empregos do setor privado da ADP para setembro é devido às 9h15, antes do lançamento mensal oficial do governo prevista para sexta-feira. Os números da Markit para o índice PMI de serviços de setembro é esperada às 10h45 e o número de setembro do índice PMI "Non-Manufacturing" do ISM será divulgado às 11h00.

ÍNDICES FUTUROS - 7h10:
Dow: -0,02%
SP500: -0,04%
NASDAQ: -0,11%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

terça-feira, 3 de outubro de 2017

RESENHA DA BOLSA - TERÇA-FEIRA 03/10/2017

ÁSIA: Os mercados da Ásia negociaram majoritariamente em alta nesta terça-feira, após as bolsas dos EUA fecharem em novos recordes graças aos dados positivos dos EUA.

O Nikkei do Japão subiu 1,05%, para 20.614,07 pontos e o índice Topix subiu 0,65%, em 1.684,46 pontos. O iene japonês negociou em 113,10 por dólar, enfraquecendo diante da alta anterior de 112,63. Isso ajudou as ações exportadoras que se beneficiam de um iene fraco. Nissan Motor subiu 1,66%, enquanto Toyota, Mazda e Honda avançaram aproximadamente 0,6% cada.

O índice Hang Seng de Hong Kong retornou a negociações na terça-feira, depois de ficar fechado na segunda-feira. O HSI subiu 2,25%, o Nifty 50 da Índia avançou 0,7%, enquanto o índice Straits Times de Singapura recuou 0,52%.

Na Austrália, o ASX 200 caiu 0,49%, em 5.701,44 pontos. O dólar australiano fechou em US $ 0,7811, recuperando-se de uma baixa anterior de US $ 0,7783 após a decisão do Reserve Bank of Australia de deixar sua taxa de juros em um recorde de baixa de 1,5% pelo 14º mês consecutivo. O governador do RBA, Philip Lowe, disse em um comunicado que a economia australiana cresceu 0,8% no trimestre de junho e este resultado e outros dados recentes são consistentes com a expectativa do Banco de que o crescimento da economia australiana irá gradualmente aumentar no próximo ano. Ele também disse que, nos últimos meses, tem havido "sinais mais consistentes de que os investimentos das empresas ex-mineração está se recuperando" e que um grande investimento em infraestrutura também está apoiando as perspectivas econômicas do país. Por outro lado, Lowe disse que o crescimento lento dos salários e os altos níveis de endividamento das famílias provavelmente restringirão o crescimento das despesas domésticas. O governador acrescentou que o dólar australiano se fortaleceu contra o dólar desde meados do ano e que a taxa de câmbio mais alta está pesando sobre as perspectivas de produção e emprego.

As principais ações do setor bancário australiano caíram. ANZ caiu 0,1%, o Commonwealth Bank caiu 1,55%, Westpac desvalorizou 0,37% e National Australia Bank declinou 0,69%. As mineradoras fecharam sem direção. Rio Tinto e Fortescue ganharam 0,6 e 0,8%, respectivamente e BHP Biliton fechou em baixa de 0,1%.

No mercado de câmbio, o índice do dólar, que mede o dólar em relação a uma cesta de moedas, foi negociado em 93,676, subindo frente aos 92,500 da semana anterior. Segundo analistas, a força do dólar não é unilateral. Ele sugeriu que os acontecimentos que se desenrolam na Catalunha, riscos emergentes da zona do euro, Brexit e incertezas eleitorais no Japão podem ter contribuído para a força do dólar contra as principais moedas.

Em outros mercados, os preços do petróleo caíram na terça à tarde durante o horário da Ásia. Analistas apontaram para uma produção de OPEP mais alta do que o esperado em setembro ser suficiente derrubar os preços da commodity e que o "prolongado posicionamento especulativo em nos contratos" foi o verdadeiro culpado por trás da queda dos preços do petróleo na sessão anterior.

Os mercados da Coréia do Sul e da China permanecem fechados devido feriados públicos.

EUROPA: Os mercados de ações europeus negociam em uma faixa específica nesta terça-feira, respirando após uma série de oito dias de alta após os investidores absorverem os desenvolvimentos na Catalunha depoids o caótico referendo de independência no fim de semana.

O índice Stoxx Europa 600 sobe 0,12%, negociando em torno de seu nível mais alto desde meados de junho. Na segunda-feira, o índice pan-europeu subiu 0,5%, impulsionado por um euro mais fraco, depois que o referendo catalão resultou em confrontos violentos entre eleitores e policiais. Líderes catalães disseram que estão pensando em fazer uma declaração de independência ainda nesta semana, visto que cerca de 90% dos eleitores que votaram no domingo apoiam uma divisão da Espanha. Mas o governo central da Espanha declarou a eleição ilegal e o ministro da Justiça, Rafael Catalá, advertiu que Madrid fará "tudo o que for possível" para evitar uma separação.

O euro sobe contra o dólar nesta terça-feira, obtendo US $ 1,1737 ante US $ 1,1734 no final da segunda-feira em Nova York. 

Segundo analistas, os riscos políticos tem aumentado gradualmente nas últimas duas semanas; começou com a eleição federal alemã, que resultou no fortalecimento do parido pró-independência da extrema direita e agora a Catalunha, ou seja, a política claramente ofusca a melhoria econômica na zona do euro e isso, segundo os mesmos, provavelmente continuará no resto da semana.

Os bancos espanhóis, que estavam entre as maiores baixas na segunda-feira, recuperam-se na terça-feira. Ações da CaixaBank sobem 1,01%, Banco Santander ganha 0,4% e Bankia adicionam 1,1%. O índice IBEX 35 da Espanha continua a cair nesta terça-feira, na sequência da queda da segunda-feira.

O FTSE 100 do Reino Unido luta para definir uma direção nesta terça-feira e opera entre pequenos ganhos e perdas. Uma queda na terça-feira quebraria uma série de quatro sessões de alta do benchmark de Londres, depois que fechou no nível mais alto desde 9 de agosto na segunda-feira. 

O setor de construção do Reino Unido contraiu inesperadamente em setembro, com o índice PMI de construção caindo para 48,1, ante 51,1 em agosto. É a primeira vez que o índice fica abaixo do limite crucial 50 que separa a contração do crescimento em 13 meses.  A IHS Markit disse que há um déficit de novas obras para substituir os projetos concluídos e isso começou a pesar muito no setor de construção do Reino Unido. As empresas de construção civil do Reino Unido experimentam seu período mais longo de queda de obras desde o início de 2013. 

Na segunda-feira, um relatório mostrou que o PMI de fabricação caiu mais do que o esperado em setembro, embora o setor ainda permaneça em território de expansão. A libra  escorregou após o relatório, para comprar $ 1,3252 em comparação com US $ 1,3277 da segunda-feira.

Ações de companhia aérea avançam, somando aos ganhos registrados na segunda-feira após colapso da Monarch. As ações da easyJet sobem 1,02%, as da International Consolidated Airlines avançam 0,25% e em Dublin, a Ryanair Holdings apresenta ganhos de 0,7%. As mineradoras também tem um dia positivo. Anglo American sobe 1,9%, Antogafasta adiciona 0,4%, BHP Biliton sobe 0,6% e Rio Tinto adiciona 1,1%. Em sentido contrário, as ações da Coca-Cola caem 2,39% após a empresa anunciar que o diretor executivo Dimitris Lois faleceu.

Os preços dos produtores na zona do euro aumentaram 0,3% em agosto, em comparação com os preços estáveis ​​em julho. As estimativas de consenso era de uma leitura de 0,1%, de acordo com o FactSet.

Os mercados de ações alemães estão fechados em comemoração ao Dia da Unidade Alemã. O DAX 30 marcou um novo recorde de fechamento na segunda-feira, com alta de 0,58%, em 12.902,65 pontos.

EUA: Os futuros de ações dos EUA operam entre pequenos ganhos e perdas na manhã desta terça-feira. O S & P 500 tenta buscar a sua sexta sessão consecutiva de ganhos e consequentemente outro recorde de fechamento.

Na segunda-feira, o S & P SPX, DJIA e Nasdaq Composite renovaram suas máximas de todos os tempos, ignorando o tiroteio em massa de domingo em Las Vegas. O S & P aumentou para cinco sessões consecutivos de alta, a série mais longa de alta desde o avanço de seis sessões que terminou em 1 de setembro. O Dow subiu quatro sessões consecutivas, enquanto o Nasdaq aumentou por cinco sessões seguidas. Os mercados americanos começaram a nova semana e trimestre da mesma forma que terminaram o anterior, registrando novos recordes.

As altas de ontem foram ajudadas por uma pesquisa de manufatura da ISM surpreendentemente forte para setembro, que não mostrou nenhum impacto de interrupção causada pelos recentes furacões no sudeste do país. Alguns estrategistas estão pessimistas após o S & P acumular ganho de 13% no ano e que as ações poderiam perder terreno à medida que o Federal Reserve encerre suas políticas monetárias acomodatícias.

Na agenda econômica, os números de setembro para as vendas de automóveis dos EUA devem ser lançados ao longo da sessão, com economistas esperando que tenham sido vendidos 17,3 milhões de veículos no país.

O governador da Reserva Federal, Jerome Powell, deve falar sobre os regulamentos financeiros dos EUA às 9h30, em Washington DC.

ÍNDICES FUTUROS - 7h30:
Dow: -0,04%
SP500: -0,06%
NASDAQ: +0,06%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.